Pesquisa reforça tendência de polarização entre Lula e Bolsonaro em 2022

O novo levantamento da Paraná Pesquisas divulgado nesta quinta-feira, 29, aponta para um cenário fortemente polarizado nas eleições de 2022, em uma disputa acirrada entre o ex-presidente Lula e o atual, Jair Bolsonaro. No segundo turno, conforme a pesquisa, Lula venceria Bolsonaro por 43,4% dos votos contra 38,2%. Como novidade, surge na pesquisa o apresentador José Luiz Datena como terceiro colocado, na frente de nomes considerados como apostas para a “terceira via”, como Ciro Gomes (PDT), João Doria (PSDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM).

Em todos os sete cenários compostos pelo instituto, Lula aparece na liderança, mas na maior parte deles a briga é apertada. Um deles mostra o petista com 33,7% das intenções de voto e Bolsonaro com 32,7%. Recém-filiado ao PSL, Datena aparece logo atrás com 7%, praticamente empatado com o pedetista Ciro Gomes, que tem 6,85%. Mais atrás vem Doria, com 3,95%, o ex-ministro da Saúde, Mandetta, com 1,8%, e a senadora Simone Tebet, com 0,7%. Pretendido pelo PSD, Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, tem 0,6% das intenções de voto.

Somente com Lula e Datena na disputa, ex-presidente venceria com mais folga: 43,1% a 31,5%. O apresentador também perderia para Bolsonaro, mas com uma margem abaixo de 3 pontos percentuais – 38,4% votariam em Bolsonaro enquanto 35,5% em Datena. Foram ouvidos 2.010 eleitores brasileiros de 26 estados e o Distrito Federal entre os dias 24 e 28 de julho de 2021. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Prefeito de Jeremoabo é acusado de falsificar exames de Covid de eleitores adversários

Falsificar exames de Covid-19 à época da campanha com o objetivo de impedir que eleitores da chapa adversária pudessem ter acesso às sessões eleitorais para o direito ao voto. Essa é a denúncia que tramita na Justiça Eleitoral contra o prefeito reeleito de Jeremoabo, Derisvaldo José dos Santos (PP), conhecido como Deri do Paloma (PP).

Mês passado, a Justiça Eleitoral deu prazo de cinco dias para que a chapa vencedora nas últimas eleições se manifestasse em relação ao pedido de inelegibilidade requerido pelo diretório municipal do PSD da cidade.

A ação pede inelegibilidade por cessão de bem público móvel para uso de particular e em benefício de candidato; servidores que trabalharam na campanha dos investigados em horário de expediente; além da cessão de material de construção de obra pública para uso particular

O atual prefeito também é acusado de nomear servidores em período vedado, entregar exames de Covid-19 dos eleitores da chapa adversária com resultados falsificados dias antes do pleito. Assim como incentivos fiscais (prática que é vedada pela Justiça Eleitoral durante a campanha) à empresa Natville, que, de acordo com Deri, prometeu implantar uma fábrica no município.

Em troca, currículos foram enviados ao então vice-prefeito, Lula de Dalvino (DEM), responsável pela coleta somente dos eleitores que prometessem votar em Deri do Paloma, que à época, tentava a reeleição.

Quanto à falsificação dos exames de saúde, a acusação é que os resultados dos testes rápidos foram manipulados pela Secretaria de Saúde de Jeremoabo, que teria recomendado quarentena de 14 dias aos moradores, no período da eleição municipal de 2020.

Após isso, essas mesmas pessoas teriam se submetido a testes em clínicas particulares, sendo que os resultados foram negativos. É bom lembrar que a eleição em Jeremoabo foi decidida por uma diferença de 159 votos.

Denúncias de compras de votos também estão sendo investigadas contra Deri. A prefeitura é acusada de desviar materiais de construção, que seriam utilizados para a construção de uma academia de saúde e de uma praça na cidade, para eleitores amigos concluírem obras nas próprias residências, à época da campanha.

Gravações indicam que Bolsonaro demitiu ex-cunhado por não entregar salário em esquema de rachadinha

O presidente Jair Bolsonaro demitiu o ex-cunhado André Siqueira Valle do cargo de assessor por não entregar a maior parte do seu salário para um suposto esquema de rachadinha. O caso teria ocorrido quando Jair Bolsonaro ainda era deputado federal e foi revelado por gravações da irmã do assessor, Andrea Siqueira Valle, obtidas pelo UOL.

André Siqueira é irmão da segunda mulher de Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle. Bolsonaro se casou com ela em 1998 e desde então pelo menos 18 parentes de Ana Cristina foram nomeados a cargos em seu gabinete ou no dos filhos Carlos e Flávio.

As nomeações são alvos de investigação por um suposto esquema de funcionários fantasmas e rachadinhas que chegam a 90% do valor do salário dos nomeados. De acordo com as gravações, André se negou a entregar parte do seu salário e então foi demitido a pedido de Bolsonaro:

“O André deu muito problema porque ele nunca devolveu o dinheiro certo que tinha que ser devolvido, entendeu? Tinha que devolver R$ 6.000, ele devolvia R$ 2.000, R$ 3.000. Foi um tempão assim até que o Jair pegou e falou: ‘Chega. Pode tirar ele nunca me devolve o dinheiro certo’. Não sei o que deu pra ele”, conta Andrea em um trecho do áudio.

Além dos áudios, Andrea teria revelado em pelo menos outras duas ocasiões a fontes próximas a ela o esquema de desvio de salários operado no gabinete de Jair, segundo a reportagem.

André trabalhou no gabinete de Jair Bolsonaro entre novembro de 2006 a outubro de 2007. Neste período seu salário era de 6.010,78 reais. Apenas nos últimos 15 dias, em uma breve mudança de cargo antes de ser exonerado, passou a receber metade deste valor, cerca de 3 mil reais.

Antes de ser nomeado no gabinete de Jair Bolsonaro, André também ocupou cargo no gabinete de Carlos Bolsonaro, entre 2001 e 2005 e depois de fevereiro de 2006 até novembro daquele ano, quando foi nomeado por Jair.

Já a irmã Andrea, autora das gravações, é o centro da investigação de esquema de rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro. Ela ocupou cargos nos gabinetes de Jair, Carlos e Flávio durante vinte anos.

De acordo com a investigação, no período em que ocupou os cargos, Andrea frequentava academias três vezes ao dia e fazia bicos de faxineira. Enquanto esteve no gabinete de Flávio, ela ainda teria sacado em dinheiro mais de 98% dos seus vencimentos, 663 mil reais.

CPI convoca Ricardo Barros e diretor da Saúde citado em denúncia de propina por vacina

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid aprovou a convocação do líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), nesta quarta-feira (30). O ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, também foi convocado.

A convocação de Ricardo Barros acontece depois do depoimento dos irmãos Miranda à CPI, na semana passada. De acordo com relato, houve pressão pela liberação da vacina indiana Covaxin, mesmo com a constatação de irregularidades no contrato pela área técnica.

Ainda segundo o depoimento, a suposta pressão e indicativos de fraude foram relatados ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que teria atribuído o caso ao deputado Ricardo Barros.

Exonerado na noite desta terça-feira (29), Roberto Dias é apontado como um dos que pressionaram pela liberação da Covaxin. O movimento foi feito após entrevista publicada pela Folha de S. Paulo com o representante da Davati Medical Supply no Brasil, Luiz Paulo Dominguetti, que também foi convocado. O empresário afirmou que o diretor da Saúde pediu propina de US$ 1 por cada dose de vacina da AstraZeneca para a empresa assinar contrato com o ministério.

‘Esse governo que aí está não me representa’, diz Ivete após ser chamada de isenta

Ivete Sangalo voltou a se pronunciar nas redes sociais após uma grande polêmica na última segunda-feira (21) ao afirmar que a situação da pandemia no Brasil não tinha ligação com política (leia aqui).

Em um novo desabafo compartilhado em seu Instagram, a artista afirmou que não se sente representada pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido), mas evitou citar o nome do presidente e pedir a saída dele.

“Entendo o quão necessário é nesse momento não estabelecer dúvidas sobre o que acredito, esse governo que aí está não me representa nem mesmo antes da ideia dele existir”, escreveu.

No texto, Ivete ainda afirmou que o cenário só irá mudar nas eleições, e agora a população precisa se cuidar para evitar a propagação do vírus.

“Isso vamos resolver quando unirmos forças nas próximas eleições através do poder do voto. Agora vamos nos unir em prol do que podemos fazer nos nossos espaços para driblar essa desorganização que são: o uso de máscaras, higienização, vacinas e o que mais necessário for”.

A artista, que tem 49 anos e já passou da idade de ser imunizada em Salvador, encerrou o pronunciamento pedindo vacina para todos. A capital baiana está imunizando pessoas de 47 anos ou mais, nascidas entre 23 de fevereiro de 1974 e 22 de junho de 1974.

Nas redes sociais, Ivete, que faz questão de fazer campanha pela vacinação, ainda não revelou se já recebeu a primeira dose.

ACM Neto se reúne com deputados estaduais do DEM para discutir eleições de 2022

O presidente nacional do Democratas e ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, se reuniu nesta terça-feira (4) com a bancada de deputados estaduais do partido na Bahia. Na pauta, segundo a assessoria de Neto, discussões sobre as eleições do próximo ano.

O encontro, realizado na sede da legenda no estado, teve também a presença do deputado federal Paulo Azi, presidente estadual da sigla, do ex-governador Paulo Souto, do ex-prefeito de Feira de Santana José Ronaldo de Carvalho e do ex-deputado Luciano Ribeiro.

Participaram os deputados estaduais Sandro Régis, líder da Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), Alan Sanches, Tom Araújo, Pedro Tavares e Luciano Simões Filho, que lidera a bancada do partido no Legislativo estadual. Na reunião, eles discutiram estratégias para eleições de 2022, com avaliação do cenário político atual na Bahia e no Brasil.

“O Democratas saiu fortalecido do pleito de 2020, ao eleger 9 prefeitos nas 30 maiores cidades do estado. Agora, estamos discutindo o nosso estado para apresentar, em 2022, um projeto que foque nos interesses da Bahia e dos baianos, sob a liderança de ACM Neto”, afirmou Régis.

Ex-prefeito de Biritinga sofre representação no MP-BA

Os conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios julgaram procedente termo de ocorrência lavrado contra o ex-prefeito de Biritinga, Antônio Avelino de Queiroz, o “Celso da Sucam”, em razão de irregularidades na desapropriação de imóvel no exercício de 2018. O conselheiro Raimundo Moreira, relator do processo, determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual contra o gestor para que seja apurada a prática de ato de improbidade administrativa. Ele também foi multado em R$7 mil. A decisão foi proferida na sessão da última terça-feira (16), realizada por meio eletrônico.

De acordo com o termo de ocorrência, o imóvel desapropriado (como 21,78 mil metros quadrados) foi adquirido pelo cidadão Joaze dos Santos Cerqueira, por R$75 mil, no dia 02/02/2014, e, após 48 meses, parte da propriedade – 3.200 metros quadrados – foi desapropriada, pelo valor de R$192 mil. Segundo a 9ª Inspetoria Regional de Controle Externo do TCM, sediada no município de Serrinha, o preço do metro quadrado passou de R$3,44 para R$60,00, o que revela uma valorização no período de 1.642,40% e indica a existência de indício de superfaturamento no processo de desapropriação.

Em sua defesa, o gestor alegou que o inspetor do TCM não teria levado em consideração a valorização imobiliária da área em que está inserido o terreno desapropriado, bem como teria desconsiderado o fato de que a área antes se caracterizava como de terras agrícolas e hoje se encontra inserida em uma área urbana de expansão imobiliária, “o que valoriza sobremaneira o metro quadrado e justifica a variação apontada no termo de ocorrência”.

O conselheiro Raimundo Moreira, no entanto, afirmou em seu voto que o único documento apresentado pelo ex-prefeito – o relatório de avaliação, assinado pela Comissão Especial de Avaliação – não é capaz de atestar, minimamente, a veracidade das suas alegações. Para o relator, “a mera alegação de existir na região da área desapropriada loteamentos comercializados por R$75,00 o metro quadrado não é meio de prova a ser considerada”.

Cabe recurso da decisão.

Bolsonaro lidera todos os cenários para 2022 e vence nomes como Lula, Moro e Ciro

O presidente Jair Bolsonaro sai na frente nas intenções de voto na eleição presidencial de 2022 em cenários em que compete com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com o ex-ministro da Justiça Sergio Moro (sem partido) e Ciro Gomes (PDT). É o que mostram dados levantados pelo Instituto Paraná Pesquisas. 

No cenário 1, Bolsonaro aparece com 30,5% das intenções enquanto Moro ocupa o segundo lugar com 12%. Ciro aparece na terceira posição com 10,6%. Pontuam ainda Fernando Haddad (9,5%), Luciano Huck (8,1%), João Doria (5,4%), Guilherme Boulos (3,5%) e João Amoedo (2,9%).

No segundo cenário, Bolsonaro repete a posição de vantagem e soma 31% das intenções de voto. O nome do ex-presidente Lula teve 17,3% e ficou em segundo lugar. Moro teve 12,1% e Ciro Gomes 9,2%. 

SEGUNDO TURNO
O Instituto Paraná Pesquisas também levantou dados sobre um eventual segundo turno, com embates diretos entre os nomes.

Quando a disputa é entre Jair Bolsonaro e Lula, o atual presidente do Brasil chega a 42,4% e o petista 35,7%. Brancos e nulos 18,5% e não souberam 3,4%. 

Já entre Bolsonaro e Moro, o cenário fica tecnicamente empatado. O presidente soma 39,1% e o ex-ministro da Justiça 37,6%.

A pesquisa Paraná ouviu 2002 eleitores durante os dias 22 a 26 de janeiro de 2021. A margem estimada de erro de aproximadamente 2,0%
para os resultados gerais.

Bruno Reis indica apoio a prefeito de Serrinha na eleição da UPB

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), indicou que apoia a candidatura do prefeito de Serrinha, Adriano Lima (PP), à Presidência da União dos Municípios da Bahia (UPB). A entidade vai eleger seu novo ou nova presidente no dia 2 de março.

“Adriano é um amigo de longa data, sem sombra de dúvidas, é um nome que representaria muito bem a cidade de Salvador na condição de presidente da UPB”, disse Bruno à imprensa, na manhã desta quarta-feira (20). Na ocasião, o democrata acompanha o início do segundo dia de vacinação contra a Covid-19 na capital, no Hospital Martagão Gesteira.

Ao falar sobre a disputa na UPB, Bruno reconheceu também que, embora tenha um apreço e uma relação até pessoal com Lima, o PP possui outros candidatos qualificados na disputa e ainda busca um consenso internamente. “Tem outros nomes, por exemplo, Marcelo, prefeito de Governador Mangabeira com quem me reuni na sexta-feira. Veio aqui em busca do nosso apoio e também é um nome extremamente qualificado, espero que possa haver um entendimento”, torce, acrescentando que o próximo presidente da entidade deverá representar os interesses dos municípios em Brasília. Alguns dos principais desafios apontados por Bruno são o transporte público e a retomada da educação.

Prefeito eleito de Jacobina reduz o próprio salário em 92% e vai de bicicleta em seu primeiro dia de trabalho

O prefeito de Jacobina-BA, Tiago Dias (PC do B), reduziu em 92% o próprio salário, por meio de decreto oficial, no primeiro dia de gestão. O valor será repassado para instituições de cunho social como Construindo o Amanhã, Casa de Rebeca, Lar do Idoso Cruzada do Bem, APAE e Fazendinha.

O primeiro decreto oficial da nova gestão municipal foi assinado por Tiago Dias durante visita às instalações do projeto Construindo o Amanhã, nesta segunda-feira (4). O prefeito disse, ainda, que espera o mesmo dos secretários municipais.

Outro fato curioso é que o gestor foi de bicicleta para a prefeitura no primeiro dia de mandato. O ex-prefeito doou a caminhonete do gabinete para a Guarda Municipal, então o atual prefeito decidiu colocar a bicicleta como “transporte oficial”.

Top